Cesta (0 Itens)
Sua cesta está vazia! Acesse nossas seções " Artesanatos " ou "Galeria de Obras" e conheça nossos produtos

Poesias

Tratado Manso de Loucura

tratado manso loucura

Como amo a paz de estar comigo!
Essa minha fusão de alma-umbigo,
esse roteiro quente do meu sangue.
Eu que conheço cada palmo dos meus passos,
que me componho e me descompasso,
que me retenho e me disponho.
Faço dos versos meu avesso,
dos adversos, meu passado,
das alegrias, meu recomeço.
Deito liquefeita e de repente
amanheço solidificada.
Sou água, sou pedra,
às vezes nuvem,
às vezes nada.
E por ser mutante e difusa,
enrolo e desenrolo essa vida
num movimento mágico e confuso.
Me certifico e me desacredito.
E admito ser ou não ser
e ser assim.
Mas como é bom sentir-me tão querida,
tão bem-amada e tão dividida,
eu revolvida inteiramente por mim.

Autor: Flora Figueiredo